Levando Jogos nas Viagens

Assinar RSS!

publicado em 20.07.2016 por guerraem@gmail.com

As férias de Julho já estão quase chegando ao fim, mas ainda á pra aproveitar essa pausa da vida real pra viajar... Como as férias estão sempre associadas a diversão, os seus jogos não podem ficar de fora! O problema é que todo conteúdo daquela sua estante enorme não vai caber no seu porta-malas, e muito menos em sua mala. Escolher os jogos para levar é sempre uma questão difícil que às vezes envolve alguma coisa parecida com um quebra-cabeça, onde as peças são as caixas e malas.

Para falar sobre esse assunto, convidei um pessoal que vocês já devem conhecer de podcasts ou canais voltados a jogos de tabuleiro (e se ainda não conhecem, aproveitem para conhecer!). Dá uma olhada no que eles falaram:

Heitor “TOCO” Alexandre, do canal BoarDado Games

Olá galera da Galápagos Jogos! Sou Heitor “TOCO” Alexandre, do canal BoarDado Games. Nada melhor do que juntar os amigos para jogar jogos de tabuleiros nas férias. Um jogo que não pode faltar na minha mala é o Zombicide, que é um dos meus jogos favoritos. Gosto muito do fato de ser cooperativo. O Zombicide é um jogo bem grande, e como ainda tenho várias expansões, sempre lota a minha mala. Ainda sobra espaço para jogos pequenos como Hanabi, Love Letter e Zombie Dice. Esses cabem em qualquer cantinho da mala e o que sobrar vai na mochila! O Dixit eu tento sempre encaixar pois meus amigos se amarram bastante! Acaba sobrando espaço para umas duas mudas de roupas, pois o resto o resto fica só para os jogos!

 

Thiago Leite, do canal Jogos com Leite  

Quando eu viajo, tento escolher jogos pensando em quem vou visitar, como quem irei jogar e qual o perfil deles. Podem ser mais fillers com meus primos ou jogos mais estratégicos com o pessoal mais ligado ao hobby... Se vou para um lugar só com minha namorada, escolho algo que estamos mais a fim de jogar mesmo. Em geral, eu não levo jogo com muitos componentes, como Zombicide ou Arcadia Quest. Estes eu prefiro jogar em casa mesmo! Eu também não costumo levar a caixa: deixo os componentes em ziplocks e os tabuleiros em uma pasta resistente. Assim economizo espaço e evito que a caixa se danifique! Na ultima viagem levei Abyss e Love Letter, e sempre que tem pelo menos mais 2 amigos, Sheriff of Nothingham não pode faltar!

 

Lucas Testa, do podcast Zero Bits Show

Fala Galerinha! Meu nome é Lucas e sou um dos Hosts do podcast Zero Bits Show. Minha história envolvendo jogos de tabuleiro e viagens é a seguinte: ainda na época da faculdade, em todos as minhas diferentes rodas de amigos eu era o único que possuía alguns títulos na coleção, ou seja, era o único que podia levar esses jogos para reuniões de amigos. Então, imagine-se em meu lugar: morando em outra cidade, tendo que andar em um ônibus lotado carregando na bagagem Recicle, Robin Hood, Vale dos Monstros e tantos outros jogos da época “na raça e no braço”.

A via sacra sempre era: conseguir colocar o maior número possível de jogos em uma caixa de papelão, carregar esta caixa (que ficava bem pesada, diga-se de passagem) de casa até o ponto de ônibus, passar com ela na catraca e mantê-la intacta até a rodoviária (e depois, ter aquela conversa séria com o motorista, implorando para ele evitar colocar malas ou outras coisas sobre meus preciosos jogos). Felizmente, hoje em dia, todos os meus amigos possuem jogos, e eu só preciso levar o bom e velho Guerra dos Tronos, além do Robin Hood, que nunca sai de moda.   

 

Falando um pouco da minha experiência pessoal, costumo viajar muito para minha cidade natal, Juiz de Fora, onde sempre encontro meus amigos de escola para um boa jogatina. A hora de escolher os jogos é tensa pois existem muitos fatores a serem considerados, além do fato de estar sempre afim de jogar muitos dos meus jogos. Depois de escolhidos, vem outra hora mais tensa ainda: ter que eliminar alguns depois que minha esposa vê a pilha enorme de jogos que estou levando para o carro. Normalmente costumo acomodar eles naquelas sacolas grandes de tecido, que normalmente são vendidas em supermercados. Elas costumam acomodar bem até as caixas maiores! #ficaadica

Cada um tem a sua história de viagem com jogos, porém o mais importante é que eles estejam presentes nas suas férias! Dentro ou fora da caixa, pequeno ou grande, sempre leve algum jogo com você e maximize sua diversão junto com seus amigos e familiares.

Sobre guerraem@gmail.com


20170311 092849 1

Eduardo Guerra (@emguerra) é um jogador de RPG que se apaixonou pelos boardgames. Se sente mais atraído pelos chamados "Ameritrash", mas não recusa uma boa partida de qualquer estilo de jogo, dos familiares aos euros. Trabalha como pesquisador na área de computação no INPE de São José dos Campos. Vem se aventurando como game designer e é o autor dos jogos Crop Rotation e Enchanted Cubes.

#COMPARTILHE

Facebook
Twitter
Feed RSS
Assinar RSS!

Comentários

Nenhum Comentário! Seja o Primeiro!

Faça login ou crie uma conta para comentar!

Fazer Login